“Isto te foi mostrado para que soubesses que o Senhor é Deus e que não existe outro além dele. Ele te fez ouvir sua voz do céu, para te instruir, e te mostrou seu grande fogo sobre a terra, e do meio do qual ouviste a suas palavras.” (Deuteronômio 4: 35-36)

Mudar não é uma tarefa fácil. E torna-se mais complicada quando essa mudança está relacionada ao que esteve implícito em nós durante muito tempo, ao que parece fluir de uma maneira muito natural, quase imperceptível. Por muito tempo fui movida pela racionalidade, pela análise natural de questões, uma averiguação de situações baseada sempre na lógica que eu possuía. Contudo, entendi que era necessário renunciar a essa vida e desfrutar da total dependência no Senhor.

Meditando sobre a dependência de Deus, entendi que ela não deveria ser parcial. Muitas vezes, pedimos direção ao Pai sobre muitas situações, mas sobre outras, não O consultamos ou ignoramos Seu conselho, apenas porque não queremos ouvir o que Ele tem a nos dizer. É mais cômodo em muitos momentos não perguntar, do que fingir não escutar, como também a sensação de culpa parece menor quando omitimos do que quando mentimos. Quando, na verdade, ambos os caminhos são errados e nenhum dos dois nos levará a profunda comunhão com Ele, nem a total dependência.

A dependência implica em confiança. Deus tem ministrado sobre minha vida pesadamente a palavra confiança. “Você precisa confiar minha filha!”. Por que tenho ouvido tanto a mesma frase? Porque não tenho confiado como deveria, ou seja, não tenho fechado meus olhos e deixado que Ele me conduza. Passo a passo tenho aprendido algumas questões importantes que Ele tem me mostrado, e a principal é que “Somente aqueles que O conhecem podem confiar Nele totalmente.” Eis o caminho… Eis a direção.

Esse é um tempo de mudanças. A revelação para esse ano de 2010 é que, esse, seria o ano das maravilhas do Senhor. Quando o denominamos como Deus Maravilhoso, O estamos definindo como Deus transformador.  E o que mais é latente que precisa ser mudado em cada um de nós, na Igreja do Senhor, é o relacionamento com Deus. Infelizmente, vivi durante muito tempo sem desfrutar disso. Hoje, o despertar que me ocorreu foi tão intenso que não me satisfaço mais de experiências passadas, nem mesmo as que ocorreram ontem. Quero mais! Porque sei que há muito para conhecer Dele. É necessário correr atrás do tempo perdido.

É preciso buscá-Lo! Ele almeja por um relacionamento profundo conosco! E como nós temos retribuído a isso? Temos colocado verdadeiramente um sorriso na face do Pai? Ou temos constantemente desagradado o coração Dele? A confiança não é uma palavra solta; é a revelação de uma das bases de um relacionamento íntimo. E existe uma linha contínua para chegarmos a ela: começa pela busca, a busca simples e pura por conhecer o Pai. Quando Deus é o centro das nossas vidas, o centro da nossa adoração, a revelação de quem verdadeiramente Ele é só aumenta em nós e não há como se sentir inseguro, ou desconfiado, porque em nós não há somente o conhecimento daquilo que Ele pode fazer, mas daquilo que Ele é!

Há alguns dias atrás, estava em casa, quando fui surpreendida pela visita de um amigo. Não entendi, porque havia conversado pouco tempo antes com ele pela internet, e esse me dissera que estava estranho e que não queria conversar com ninguém. Pois bem, ele me disse que o ônibus parou exatamente em frente a minha rua e que o motorista, por sua vez disse que não poderia parar no ponto que meu amigo sinalizara para descer. Bom, ele entendeu que havia um direcionamento de Deus, mas não sabia bem o que era.

Ainda com traços de surpresa no meu rosto, tomei banho e fui à sua casa, conhecê-la. Conversamos, assistimos o DVD que mostrava danças proféticas e que possuía um extra sobre missões. Nossa! Como fui impactada! Deus produzindo em mim um amor maior pelos perdidos! Em meio a nossa comunhão ali estabelecida, ele me diz: “Estou sentindo da gente ir à casa de alguém!” Fiquei meio assustada, mas na hora um casal veio no meu coração, logo depois ele sugeriu que fossemos até lá. Era uma confirmação. Eu não tinha a mínima idéia do que Deus ia fazer, mas estava tão somente confiando.

Quando chegamos até a casa, percebi que nenhum deles entendeu coisa alguma. Sentamo-nos e falamos sobre diversos assuntos, todos muito importantes, senti que Deus estava direcionando toda a nossa conversa. Compartilhamos experiências negativas e positivas com homens e experiências com Deus. Foi muito prazeroso estar ali em comunhão com eles. Mas era necessário ir embora. Já era tarde. Entretanto, todos nós reconhecíamos a necessidade de orar para consumar aquele momento. “Vocês não vão sair daqui sem orar”, disse nossa amiga. Mas nem sonhávamos sobre o que estava para acontecer.

Começamos a orar e a presença de Deus inundou aquele lugar. O Espírito Santo falou muito profundamente a cada um de nós. Ministramos profeticamente uns sobre os outros e deixamos Deus falar, nos tomar em seus braços e revelar Seus sonhos a nós. Foi lindo. Cadeias caiaram por terra, rompemos em Deus, num nível que ainda não fomos capazes de dimensionar, mas conseguimos reconhecer que algo único aconteceu ali. Naquele dia, Deus me deu detalhes.

Deus sempre testifica, confirma aquilo que me diz. Tenho O buscado, mas minha ênfase não tem sido receber respostas Suas, eu só quero recebê-Lo, só isso! Entretanto, nesse dia, Deus resolveu me presentear revelando detalhes de alguns de Seus sonhos pra mim. Além de ter confirmado muitas das palavras que já tinha me dado anteriormente. Sinto-me mimada pelo Pai! Embora nunca tivesse orado a respeito, uma pergunta povoava meus pensamentos, uma dúvida, algo que queria saber, embora estivesse no caminho “descansar em Deus”. Eu optara por andar no absurdo, porque sabia que esse era o direcionamento de Deus, mas sempre me fazia a mesma pergunta. Pois bem, naquele dia, Ele trouxe a resposta, e eu entendi! Tudo fez um profundo sentido à situação. Ela deixou de parecer absurdo para ser coisa de Deus mesmo.

Voltei em êxtase para casa. Como Deus era bom! Como era maravilhoso confiar e obedecer a sua voz, ainda que parecesse loucura! Nosso entendimento não alcança a sabedoria de Deus. “Porque os meus pensamentos não são os vossos pensamentos, nem vossos caminhos, meus caminhos, diz o Senhor.” (Isaías 55:8).

Os dias que precederam essa experiência foram marcados por confirmações na palavra de Deus acerca do que o Espírito Santo havia dito, e por mais experiências. Sei que existe um longo caminho a ser percorrido. Sei, ainda, vou continuar tentando racionalizar as situações da minha vida, esse é o grito da minha carne, que precisa ser mortificada todos os dias, em todos os momentos. Tenho entendido que em determinadas situações, Deus deixa grandes pontos de interrogação para aumentar minha fé. É difícil absorver o que vou dizer, mas, muitas vezes, quando o Pai não responde às nossas perguntas, está havendo a crucificação da nossa vida na carne.

Caminhar dependendo de alguém é um desafio. Entretanto, torna-se uma angústia àquele que confia ainda nas suas próprias forças, que se coloca como juiz de sua própria vida, para aquele que continua achando que, sozinho, pode fazer melhor, com mais eficiência. É preciso mudar, para caminhar em dependência. Se não houver mudanças, continuaremos lutando com Ele e não sairemos do lugar! Deus no levará a prosseguir, mas nossa mente nos levará num caminho de retrocesso. Não fomos chamados para isso! Cessou o tempo de duelar com o Senhor! Chegou o tempo de sermos conhecidos como aqueles que se deixaram conduzir pela correnteza de Deus.

Anúncios