“E porá as ovelhas à sua direita, mas os bodes à esquerda. Então dirá o Rei aos que estiverem à sua direita: Vinde, benditos de meu Pai, possuí por herança o reino que vos está preparado desde a fundação do mundo; Porque tive fome, e destes-me de comer; tive sede, e destes-me de beber; era estrangeiro, e hospedastes-me; Estava nu, e vestistes-me; adoeci, e visitastes-me; estive na prisão, e fostes ver-me. Então os justos lhe responderão, dizendo: Senhor, quando te vimos com fome, e te demos de comer? ou com sede, e te demos de beber? E quando te vimos estrangeiro, e te hospedamos? ou nu, e te vestimos? E quando te vimos enfermo, ou na prisão, e fomos ver-te? E, respondendo o Rei, lhes dirá: Em verdade vos digo que quando o fizestes a um destes meus pequeninos irmãos, a mim o fizestes.” Mateus 25: 33-40

Há algum tempo não escrevo aqui; não por falta de experiências, mas por escassez de tempo para relatá-las. Tenho experimentado dias maravilhosos na doce e suave presença do meu Senhor. Vejo, a cada dia sonhos, Dele pra minha vida tomarem forma, se concretizando; Ele tem muito mais do que me abençoado, tem se mostrado de maneira muito especial.

Em março desse ano, um trabalho começou a ser realizado por um grupo de amigos, da minha igreja (Projeto Vida Nova): Jesus, o Pão da Vida. Um sábado ao mês, eles acordam às 4h30 da manhã para irem em direção ao Centro da Cidade do Rio de Janeiro a fim de realizarem uma ação evangelística com moradores de rua. Lembro-me da primeira vez que meu amigo Maike conversou comigo acerca da revelação que Deus dera a ele. Depois de ouvir tudo que ele me dizia, eu disse: Estamos juntos! Pode contar comigo. Assim como eu, cerca de mais 10 amigos se uniram a revelação q Deus estava dando. Regamos com muita oração esse projeto e tivemos a bênção dos nossos pastores: Respaldo do Senhor!

Na primeira ação, estávamos um pouco receosos, seria o primeiro passo rumo a um projeto que era muito maior do que estaríamos fazendo alí. Mas um louvor encheu nossos corações a caminho do evangelismo: “É Meu, somente Meu, todo trabalho e o teu trabalho é descansar em Mim…”. Era o Pai falando conosco, mostrando-se à nossa frente.  Nesse dia tive experiências muito marcantes com Deus. Desde comtemplar o cuidado de Deus com um bebê de poucos meses, a enxergar o novo nascimento de uma senhora que tinha tido sua identidade destruída por Satanás.

Essa última me marcou profundamente. Ela estava à frente de uma igreja católica conhecida esmolando, e fomos oferecer-lhe o café da manhã; ao perguntarmos o nome dela, ela não conseguia dizê-lo porque ao fazê-lo más recordações vinham ao seu coração. Quando ela realmente disse seu nome, começou a declarar: Eu sou imunda, sou suja, não presto; enquanto dizia, uma irmã dizia a ela: Você é princesa do Senhor, preciosa, menina dos olhos de Deus; e aquela senhora desabou num choro profundo, era mais uma desviada dos caminhos do Senhor. Ao final daquela abordagem, depois de orarmos por ela, essa nos disse: Obrigada, por me trazer nova vida! Não fui capaz de segurar minhas lágrimas… Meu coração se encheu de um profundo amor por aquela vida.

Nesse mesmo dia, outra situação vivenciada também provocou em mim um turbilhão. Ao chegarmos à Praça XV, encontramos um rapaz jovem, com aproximadamente a minha idade deitado sobre um papelão. Ao seu lado, seus documentos; em seus olhos, algumas lágrimas contidas. Iniciamos uma conversa com esse menino, e num determinado momento, lhe perguntei: Qual era seu sonho antes de chegar até aqui? E ele me respondeu: Meu sonho? Eu queria ter uma esposa, filhos, uma casa; eu queria ser pedreiro. A simplicidade daquele menino me comoveu completamente. Oramos por ele, e ao final seu semblante era outro, totalmente mudado. Então eu disse a ele: Talvez vc não entenda, mas quero te dizer uma coisa; antes que chegassemos aqui você falava com Deus, e nós somos a resposta Dele pra você. Nesse momento, os olhos do rapaz ficaram marejados de lágrimas e nós voltamos rumo à continuidade do trabalho.

Já fizemos mais três trabalhos como esse. Há cada saída evangelística algo novo acontece; desfrutamos de experiências marcantes por Deus. Somos usados sim por Deus para gerar vida, para restaurá-las, mas também somos demasiadamente marcados por essas mesmas vidas. Vemos implícito em nós pelo Espírito a manifestação do amor de Cristo. Iniciamos passos que nos retiram de uma vida fundamentalmente teórica e para nos lançar na prática do evangelho de Cristo.

Estamos agora em busca de instituições que façam parceria conosco a fim de restaurar as vidas que optam pelo conserto. A entrega do café da manhã é apenas o primeiro passo de um sonho; nosso objetivo é restaurar e reintegrar essas pessoas no contexto social. Um ensaio do segundo passo foi realizado na primeira reunião após a nossa segunda saída; conseguimos fazer contato com a mãe de um morador de rua, oramos com aquela mãe e vimos a esperança ser devolvida aquela mulher. É o começo! Ainda há muito para ser percorrido… mas continuamos a dizer: Eis-nos aqui…

“Como, pois, invocarão aquele em quem não creram? e como crerão naquele de quem não ouviram? e como ouvirão, se não há quem pregue?” Romanos 10:14


Anúncios