“Tu conservarás em paz aquele cuja mente está firme em ti; porque ele confia em ti.” Isaías 26:3

Ansiedade: Aflição, angústia, ânsia; Atitude emotiva concernente ao futuro e que é caracterizada por uma alternância entre medo e esperança; Impaciência, insofrimento, sofreguidão.

Dias de anseios. Posso definir assim, os últimos dias. Deus nos dá uma palavra, nos afirma categoricamente Suas promessas, e ao invés de descansarmos, nos vemos angustiados. Nossa dificuldade não está em confiar, mas em deixar de querer controlar. Naturalmente somos controladores.

Há algum tempo li que a imaginação sem a sabedoria de Deus é uma arma cruel, e quero acrescentar que se torna letal também. Quando imaginamos, nos sentimos divinos, controladores, detemos o domínio de acontecimentos; tudo ilusório. Só alimentamos continuamente incertezas, inseguranças, medos, falsas expectativas. A palavra diz que os nossos pensamentos não são os pensamentos Dele.

Enquanto a ansiedade nos preenche um cenário peculiar se desenha na nossa vida: Perdemos energia naquilo que não é importante. Vivenciando dias de lutas travadas na minha mente, pude perceber que algo desagradável acontecia: eu estava me distraindo; deixando de olhar para aquilo que era importante. Como diz um determinado pastor: tirando a coisa principal do lugar da coisa pirncipal! Mais claramente: Tirando Jesus do centro e colocando meus anseios, as circunstâncias.

A descentralização é uma das armas mais utilizadas por Satanás para nos enfraquecer e nos tornar soldados despreparados. Quando retiramos Jesus do centro, tudo a nossa volta se desconstrói, porque Ele é a base, o fundamento! O resultado dessa movimentação errada é a confusão! Na verdade uma grande confusão!

Ao entender o que estava acontecendo comigo, perguntei ao Senhor: Porque agi assim Pai? E Ele me respondeu: Porque você supervalorizou sua situação! A supervalorização dos nossos problemas acarreta uma dedicação exclusiva àquilo que nos preocupa e ao agirmos assim dizemos que Deus não é capaz de agir.

A expressão “descansar em Deus” tornou-se, no meio Cristão, um tanto quanto figurativa. Dizemos que estamos descansando; mas nosso corpo, nosso discurso e sentimentos emanam tensão. Declaramos mais uma vez algo que não vivemos. E tornamos mais uma vez ao assunto mais falado nesse blog (rs):  só consegue descansar em Deus, quem confia Nele! Só confia Nele, quem verdadeiramente O conhece! Só podemos conhecê-Lo, quando caminhamos com Ele, e temos um relacionamento Com o Pai!

Não há como fugir! Essa é a base! Ele morreu para que tivessemos esse relacionamento! Descansar em Deus não é dizer que confiamos porque temos fé apenas. Essa fé que reflete a expressão “Eu creio e assim verei um milagre, porque assim Ele disse” é uma fé egoísta, que busca a satisfação do “eu”; que não tem nada a ver com renúncia, ou mortifcação da carne; pelo contrário objetiva o individualismo, a própria vontade!

O descanso do qual eu falo está fundamentado na fé naquilo que Ele é, e não naquilo que Ele pode fazer!! É saber que Ele vai agir não por causa da minha fé, para gerar um milagre para mim; mas é ter a certeza de que sei que Ele agirá por que sei quem Ele é!!! Porque ando com Ele, porque Ele é meu amigo! Esse tem sido meu pedido: Quero Senhor ser reconhecida por Ti, como não somente aquela que anda contigo; mas como aquela que pode ser chamada tua amiga!

Ao tirá-Lo do centro, vemos a deturpação da nossa escala de prioridades! A comunhão com Ele que era fundamental, passa a ser secundária; e o que era inferior, toma os primeiros lugares na escala da nossa vida. O Espírito deixa de ser alimentado e a carne prossegue continuamente a ser saciada através daquilo que vemos e ouvimos. Somos naturalmente massacrados por informações de valores desse mundo, sem sequer ensaiarmos uma luta porque passamos a viver uma vida consideravelmente carnal.

Vivendo na carne, nos tornamos insensíveis á voz de Deus. Tomamos o formato do mundo numa “naturalidade” quase imperceptível a nós. Embora saibamos que o Espírito está falando é preferível fingir não ouvir, a voltar atrás num caminho já tão percorrido.  Deixamos-nos envolver pela situação, damos crédito às dúvidas e incertezas lançadas por Satanás e enlouquecemos diante do sofrimento eminente. Tanto sofrimento desnecessário! Era apenas para confiar e entender que Ele sabe sempre o que faz.

A descentralização é uma artimanha para nos fazer idolatrar! Porque Satanás sabe que a idolatria é abominável ao Senhor. Nosso inimigo sabe que estamos atentos a grandes obstáculos, sabemos bem dimensioná-los; entretanto, ele também sabe, que na maior parte das vezes, não observamos os pequenos detalhes; as pequenas pedras à nossa frente. É preciso estar vigilante e atentar para todo e qualquer detalhe.  Discernindo as mais ardilosas investidas de Satanás, nada tirará nossos olhos do Senhor; mas para isso é preciso conhecê-Lo, verdadeiramente andar com Ele.

“Confia no SENHOR de todo o teu coração, e não te estribes no teu próprio entendimento.” Provérbios 3:5


Anúncios